Prefeitos buscam soluções emergenciais para melhorar o sistema de saúde

  • gilcacinara
  • 04/05/2009 17:13
  • Municípios
O secretário de Estado da Saúde, Herbert Motta, se reuniu, na manhã desta segunda-feira (04), com os prefeitos e secretários municipais de saúde de Alagoas, no auditório da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) para  debater soluções para o sistema de saúde dos municípios.
 
“A reunião com os gestores e secretários de saúde foi uma oportunidade de  vermos os problemas que existem nos municípios, e mostrar ao Governo do  Estado e a União que nós precisamos da participação deles para melhorar a  qualidade da atenção básica de saúde e dos hospitais públicos’, afirmou o  presidente da AMA, Luciano Barbosa.
 
Foram apresentados aos gestores as políticas de financiamento do sistema e  os programas do Governo para o desenvolvimento da saúde pública de Alagoas:  o Pro-Saúde, que beneficia na melhoria das ambulâncias, construção e reforma  de unidades de saúde e aquisição de equipamentos; o Pro-Vida, que ampliou a
rede de urgência e SAMU; o Pro-Mater, que reduz os índices de mortalidade  infantil com o atendimento materno-infantil; e o Pro-Hosp que está  aumentando o número de leitos para a população.
 
“O Governo vem investindo na saúde, se trabalharmos em ações conjuntas com os municípios poderemos identificar alternativas para superarmos os  problemas  do Estado, e principalmente no fortalecimento da atenção básica”,  ressaltou o secretário Hebert Motta.
 
A presidente do Conselho de Secretaria Municipal de Saúde de Alagoas - COSEMS/AL, Oneide Regina declarou que os hospitais municipais de pequeno  porte estão com sérias dificuldades de funcionamento, em virtude da falta de
recursos para saúde. “É preciso discutir uma proposta para manter os  hospitais e, melhorar a política de investimentos conseguindo assim evoluir nos índices da saúde da população”, disse Oneide.  
 
Durante a reunião foram apresentadas algumas propostas dos gestores como  soluções para a saúde do Estado. Entre elas, a adesão do Estado de Alagoas a  Política Nacional do Hospital de Pequeno Porte, como suporte a atenção  básica dos municípios e a solidariedade do Estado ao financiamento
tripartite (Governo do Estado, Municípios e União).
 
Atualmente, 52 municípios possuem esses hospitais de pequeno porte,  totalizando quase 2.000 leitos. Segundo o prefeito de Quebrangulo, Marcelo Lima os municípios estão arcando com quase 85% das despesas mensais. “Não
temos condições de manter o funcionamento hospitalar adequado sem a  participação do Estado”, reclamou o prefeito.
 
Na oportunidade foi sugerida a criação de uma comissão mista para estudar uma proposta completa baseada nos problemas pontuais dos municípios. O  secretário Hebert Motta garantiu que os pontos discutidos na reunião serão tratados como prioritários pelo Governo para melhorar os indicadores, os  recursos para atenção básica e reestruturar o sistema de saúde pública do  Estado. Ficou combinado para amanhã (05), às 14h, uma reunião no gabinete do  secretário, com a comissão de saúde para definir estratégias emergenciais.