Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quarta-feira (29), durante a posse do novo ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, que a "PF não persegue ninguém, a não ser bandidos". Na ocasião, o novo advogado-geral da União, José Levi, também tomou posse.

"Uma das posições importantes é o chefe da PF. Nossa PF não persegue ninguém, a não ser bandidos. Um pequeno parêntesis: Respeito o poder Judiciário, respeito suas decisões, mas nós com toda a certeza, antes de tudo, respeitamos nossa Constituição", afirmou.

Em seguida, elogiou o atual chefe da Abin (Agência Brasileira de Inteligência), Alexandre Ramagem, que era cotado e até foi nomeado para assumir a PF (Polícia Federal), mas foi impedido por uma decisão do ministro Alexandre de Moraes, do STF. Bolsonaro falou que seria um "sonho" dar posse hoje a Ramagem.

"O senhor [Alexandre] Ramagem, que tomaria posse hoje, foi impedido por uma decisão monicrática do STF. O conheci no fim do segundo turno, foi escolhido pela PF do governo anterior como homem de elite, homem honrado, com vasto conhecimento, com a altura de representar o chefe da segurança do chefe da presidência da República. Creio essa uma posição honrada ao senhor Ramagem. Tenho certeza que esse sonho é meu, mais dele, e brevemente se concretizará para o bem da nossa polícia federal e do nosso Brasil", completou.

Harmonia entre os Poderes

Em seu discurso, Bolsonaro também disse que os Poderes da República - , Legislativo, Executivo e Judiciário - são "independentes e hamônicos entre si". Na sequência, o presidente afirmou que é assim que se comporta e dirige a nação na chefia do Executivo.

Publicidade

Fechar anúncio

"Não posso admitir que ninguém ouse desrespeitar a nossa Constituição. Esse é o meu papel, esse é o papel não só dos demais Poderes, mas de todos os cidadãos do Brasil. Harmonia e respeito entre si", disse.

"O nosso governo tem uma missão. O seu chefe, ora representado aqui, sonhava em mudar de fato o destino da nação. Permaneci assim 15 anos no Exército, bem como no Legislativo, o qual integrei por 28 anos. Exerci o papel da maneira que devia fazer. [O chefe] consegue uma eleição, uma série de dificuldades e montamos nosso sonhado time de ministro", relembrou.

Ao completar o raciocínio, citou o novo ministro da Justiça, que entrou no lugar de Sergio Moro. "Hoje, entra na Justiça o senhor André Mendonça. É deslocado, sai de uma posição para outra [Mendonça era chefe da AGU]. Pelos aplausos, temos terteza que desempenhará muitíssimo bem essa sua missão", encerrou.

Elogios ao AGU

Bolsonaro também deu posse ao novo Advogado-Geral da União, José Levi, e ressaltou que nunca havia conversado com ele. "Levi, eu conhecia você pelos seus trabalhos. Nunca tinha conversado com você mais que 1 minuto. O seu nome foi uma unanimidade. Até mesmo vossa excelência ficaria surpresa com a quantidade de pessoas que apontaram para o seu nome", disse. 

Em seguida, Bolsonaro completou ao dizer ter certeza que Levi "vai brindar a todos nós, não só defendendo o que estabelece a nossa Constituição, mas também auxiliando em políticas que possam alavancar o nosso país.