Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Em Palmeira dos Índios já é Carnaval há duas semanas, e isso Alagoas inteira já sabe, mas o final de semana ainda será agitado com vários blocos, um deles, que já é tradição há 23 anos na cidade é o Bloco "As Pecinhas". 

Com muito humor e alegria o bloco reune um público apenas masculino, mas com um detalhe especial, para participar do percuso, o folião precisa está festido de mulher. Com esse detalhe, a festa leva as ruas homens, mulheres, idosos, adultos, crianças e muito mais, com o objetivo de "tentar" reconhecer as Pecinhas fantasiadas na folia. 

Segundo Cacau, um dos organizadores do bloco é levar cerca de 500 pecinhas a desfilar pelas ruas de Palmeira com alegria e animação. "O bloco foi criado em 97, após a ideia de amigos de saírem fantasiados de mulheres pulando o Carnaval. Hoje a festa completa 23 anos, e nosso objetivo é não deixar essa tradição morrer, muitas pessoas vão as ruas apenas para verem as Pecinhas, muitas delas nem gosta de carnaval, mas se divertem com as fantasias." Afirmou o empresário que está a frente do bloco desde de 2016.

Mas se engana quem pensa que encontra apenas fantasias improvisadas que homens pegam de suas companheiras, irmãs, amigas ou mãe, tem gente caprichando e muito para sair no bloco, como é o caso do Gabriel, estudante de enfermagem e morador de Arapiraca, o jovem afirma ter gasto cerca de R$ 2000 reais na produção de sua roupa. 

"Esse é o terceiro ano que saio de Arapiraca e vou a Palmeira só para sair nas pecinhas, na primeira vez não conhecia muita gente, mas fui pegando amizade e agora não posso deixar de sair. Gastei mais de R$ 2000 reais com penas, pedras e adereços para está lá." Afirmou o jovem. 

As prévias de Carnaval contam com o apoio e logística organizacional da Prefeitura de Palmeira dos Índios e segundo o prefeito Júlio Cezar o resgate e apoio da prefeitura para manter o a tradição é fundamental. "Damos o nosso melhor porque amamos nosso povo e é preciso que os próximos governos se esforcem para não deixar acabar essa tradição." Afirmou o prefeito.