Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A bebê recém-nascida que foi encontrada dias após ser enterrada viva em uma cova em Bareli, no norte da Índia, na semana passada, continua internada em um hospital da cidade, lutando por sua vida.

A menina, que tem por volta de 10 dias de idade, foi transferida para uma clínica especializada que possui uma UTI neonatal. Segundo o pediatra Ravi Khanna, que está acompanhando o caso, seu estado de saúde é grave e ainda inspira muitos cuidados.

"Ela tem chances de sobreviver, mas vamos poder ter mais certeza somente dentro de 5 a 7 dias", disse Khanna, em entrevista à BBC India. O médico esclareceu que a menina está com infecção e uma contagem muito baixa de plaquetas, além de estar desnutrida e com hipotermia (baixa temperatura corporal).

"Ela tem chances de sobreviver, mas vamos poder ter mais certeza somente dentro de 5 a 7 dias", disse Khanna, em entrevista à BBC India. O médico esclareceu que a menina está com infecção e uma contagem muito baixa de plaquetas, além de estar desnutrida e com hipotermia (baixa temperatura corporal).

Encontrada sob o solo

A recém-nascida foi encontrada na última quinta-feira (10, ao contrário do que foi informado anteriormente), por acaso. Um agricultor da cidade, Hitesh Kumar, ia enterrar sua filha que morreu no parto, quando a pá do coveiro bateu em um vaso de cerâmica. A menina enterrada estava dentro desse vaso, ainda viva. A polícia acredita que ela sobreviveu sob o solo durante alguns dias.

Um deputado do estado de Uttar Pradesh (onde fica Bareli), Rajesh Kumar Mishra, se comoveu com a história e contou à BBC que tem visitado a menina todos os dias na UTI e irá adotá-la quando ela receber alta. Ele diz que deu a ela o nome de Sita, uma deusa hindu da boa sorte.

Sem suspeitos

Enquanto isso, a polícia da cidade abriu uma investigação contra "pessoas desconhecidas", já que ainda não teve pistas dos pais da menina. O mais provável é que eles tenham abandonado a bebê, já que até o momento ninguém foi até o hospital para pegar informações sobre a saúde dela.

Na Índia, é comum os pais rejeitarem filhas, especialmente nas camadas mais humildes. Isso leva o país a ter uma proporção de 944 mulheres para cada homem, uma das mais baixas do mundo. No censo de 2011, a população indiana tinha 623 milhões de homens e 568 milhões de mulheres