Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O setor da Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Palmeira dos Índios e a Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (ADEAL) estiveram reunidos na última quinta-feira (8), com agricultores e pecuaristas da zona rural do município. A pauta do encontro foi raiva animal, uma preocupação que tem sido constante para os pequenos e médios produtores locais.

Durante a reunião, foi discutida a Nota Informativa da SMS que explica quais são as medidas que devem ser adotadas pelos agricultores e pecuaristas. Também foi apresentado um cronograma com as ações já realizadas e as que serão feitas pela SMS e a Vigilância Sanitária, como pequenas campanhas de vacinação antirrábica em cães, em um raio de até 5 km de onde ocorreram casos positivos para raiva em herbívoros (bovinos, caprinos, ovinos e equinos), divulgação em escolas e orientações para a população da zona rural.

De acordo com a ADEAL, a principal forma de transmissão é pela mordida de morcegos infectados. As mordidas são notadas pela presença de sangue no local da ferida. As formas de identificar os sintomas são quando o animal se isola dos demais, perde o apetite, saliva bastante, tem dificuldade para engolir, parece estar engasgado e range os dentes, apresenta dificuldades para respirar e tem dificuldade nos movimentos. A melhor forma de evitar a doença é a vacinação anual.

A diretora da Vigilância em Saúde Leide Alencar orienta a população quanto às suspeitas do vírus. “Essas orientações são para todos, tanto zona urbana e, principalmente, zona rural.  Pessoas agredidas por cães, gatos, morcegos ou outro mamífero é recomendável que lave o local em água corrente com sabão ou outro detergente e a pessoa seja encaminhada ao posto de saúde mais próximo para receber atendimento médico. Lembrando que a vacina contra a raiva é gratuita”, pontuou Leide.

Em caso de suspeitas ou notificações, a população pode ligar para os seguintes números: para animais de grande porte, procurar a ADEAL, pelo telefone 82 98126-1277; para cães e gatos procurar a Vigilância Municipal, pelo telefone 82 99907-3616.

Também estiveram presentes na reunião representantes da Secretaria Municipal de Agricultura, Vigilância Sanitária, Instituto de Inovação para o Desenvolvimento Rural Sustentável de Alagoas (EMATER/AL) e Secretaria de Estado da Agricultura Pecuária, Pesca e Aquicultura de Alagoas (SEAGRI).