Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A assistente de marketing Ayumi Fumayama tirou um novo passaporte em março deste ano, já que planeja fazer um intercâmbio de um mês a Califórnia em setembro.

O documento de Ayumi faz parte dos mais de 1,5 milhão de passaportes produzidos no primeiro semestre de 2019. A emissão cresceu pelo segundo ano consecutivo, segundo dados da PF (Polícia Federal) enviados com exclusividade ao R7.

PUBLICIDADE

O levantamento aponta que foram emitidos 1.296.325 documentos no primeiro semestre de 2017, 1.487.074 no mesmo período de 2018 e 1.598.977 no mesmo período de 2019 (veja dados no gráfico abaixo).

O aumento foi de 23,34% do primeiro semestre de 2017 para o mesmo período de 2019. Em 2019, o maior número de emissões (296.162) aconteceu no mês de maio. No sentido contrário, o menor número foi registrado em junho (236.838).

“Sempre mantenho o passaporte válido, mesmo que sem viagem marcada, porque nunca se sabe né?”, diz Ayumi. O documento venceria em maio deste ano e a emissão do novo passaporte foi tranquila. “O horário marcado foi respeitado e em uma semana estava pronto”, explica.

O especialista em turismo Bruno Guimarães diz que o aumento é um primeiro passo para o setor. “Se a pessoa tirou um passaporte, ela tem no mínimo a intenção de viajar, que pode ser de curto, médio ou longo prazo”, afirma.

Segundo Guimarães, hoje o turismo movimenta, direta ou indiretamente, outras 60 atividades, como a rede hoteleira, aluguel de carros, táxis e restaurantes. Para saber se de fato as pessoas estão viajando mais, será necessário avaliar os indicadores de embarque e desembarque nos próximos meses.

O diretor executivo da AVP documentação, Orlando Matheus, afirma que no caso dos intercâmbios, por exemplo, o período de emissão de passaportes é sazonal, com altas em novembro e dezembro e junho e julho. “Para quem vai fazer um high school [ensino médio no exterior], as aulas começam em setembro. Em junho e agosto a demanda é grande por isso. Já em novembro começa novamente por causa das pessoas que vão viajar em dezembro e janeiro”, afirma.

O executivo afirma que a pode emissão estar maior este ano por causa das eleições e das melhores expectativas para a economia.

O Ministério do Turismo disse ao R7, em nota, que “diversos podem ser os motivos para o aumento na emissão do passaporte e o Ministério do Turismo não dispões de nenhum estudo sobre o tema. O aumento da emissão não significa, necessariamente, que mais brasileiros estão viajando para o exterior”.