Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Entre os acordos assinados pelo presidente Jair Bolsonaro no primeiro dia de visita a Israel está a criação de um escritório em Jerusalém para a promoção de comércio, investimento, tecnologia e inovação.

Os dois governos assinaram neste domingo (31) seis acordos de cooperação. Bolsonaro e o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu estiveram reunidos durante mais de uma hora.

O ministro das Relações Exteriores israelense, Israel Katz, comemorou a decisão do governo brasileiro, segundo noticiou a agência EFE.

"Obrigado por abrir um escritório diplomático em Jerusalém! Israel e Brasil são verdadeiros amigos, com valores comuns, e fortaleceremos a cooperação entre os nossos países", escreveu Katz nas redes sociais, pouco tempo antes de Bolsonaro participar de uma entrevista coletiva com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, na qual deve ser feito o anúncio oficial.

Bolsonaro não conseguiu cumprir uma das promessas de campanha, que era a de transferir a embaixada do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém. Foi aconselhado por militares e por parte da equipe para não fazer o movimento agora, antes das eleições que acontecem em 9 de abril em Israel. No entanto, o escritório em Jerusalém representa mais uma aproximação com o país do Oriente Médio.