Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Uma forte explosão causada por um vazamento de gás destruiu o piso térreo de um prédio comercial, onde funcionava uma padaria, no centro de Paris, na França, neste sábado (12). Três bombeiros e uma cidadã espanhola morreram e dezenas ficaram feridas com os destroços deixados pela explosão.

"Como os bombeiros estavam procurando um vazamento de gás no prédio, uma grave explosão aconteceu", disse o ministro do Interior da França, Christophe Castaner, acrescentando que um dos bombeiros havia ficado sob os detritos por várias horas.

Castaner disse em seu Twitter que dois bombeiros morreram e que 10 pessoas, incluindo bombeiros, tinham ferimentos graves. Outras 37 pessoas tiveram ferimentos leves, afirmou.

O ministro das Relações Exteriores espanhol, Josep Borrell, escreveu em seu Twitter que uma mulher espanhola também morreu na explosão. As autoridades francesas não confirmaram imediatamente a terceira morte. O jornal espanhol El Confidencial informou que a mulher era uma turista que visitava Paris com o marido, que estava ileso.

Mais cedo, o ministro do Interior da França, Christophe Castaner, chegou a falar em quatro mortos. Porém, as autoridades afirmaram que duas pessoas morreram em decorrência do vazamento, corrigindo as informações dadas pelo ministro. Em seguida, foi registrada a morte da cidadã espanhola.

"Gostaria de saudar a coragem dos bombeiros que salvaram a vida de seu companheiro, que permaneceu enterrado sob os escombros por duas horas e meia", disse Christophe Castaner, em uma segunda coletiva de imprensa, de acordo com o jornal "Le Figaro". "Eles assumiram riscos muito importantes sob a autoridade de seu líder e conseguiram salvar sete vidas". 

Segundo as testemunhas, a força da explosão, na rua Trevise, no distrito de Grands Boulevards, destruiu as fachadas próximas e balançou prédios a centenas de metros de distância.

Mais de 200 bombeiros atuam na operação de resgate e dois helicópteros aterrissaram na vizinha Place de l'Opera para retirar os feridos. "A situação está agora sob controle", disse o ministro do Interior, Christophe Castaner. Uma testemunha em um hotel próximo do local disse que viu o incêndio surgir no prédio destruído pela explosão.

"Havia vidros quebrados por toda parte, as fachadas das lojas foram destruídas e as janelas se quebraram até o terceiro e quarto andares", disse David Bangura, de 38 anos. Ele disse que ao se aproximar dos destroços, uma mulher chorava e pedia ajuda no primeiro andar de um prédio: "Ajude-nos, ajude-nos, nós temos um filho".

A polícia da capital francesa estava em alerta máximo em decorrência do 9º dia consecutivo de protestos dos "coletes amarelos", manifestantes que protestam contra o aumento no preço do combustível, com diversas partes do centro da cidade bloqueadas pela polícia.

Nos últimos anos, a França sofreu ataques militantes jihadistas em Paris, Nice, Marselha e além. Mas o promotor de Paris, Remi Heitz, descartou essa possibilidade. "Ainda precisamos determinar as circunstâncias e a causa da explosão, mas neste estágio podemos dizer que é claramente um acidente, presumivelmente um vazamento de gás", afirmou.