Reprodução 459414d5 ce23 43cf 97e2 4acbfc09c928

A TV Globo anunciou que o Vídeo Show vai deixar de ser exibido. O anúncio foi feito nesta terça-feira (8) por meio de um comunicado oficial da emissora, que trazia mudanças na grade da programação para 2019.

O programa, que ficou no ar por 35 anos, termina nesta sexta-feira (11). Durante o período em que foi exibido, o Vídeo Show contou com nomes como Miguel Falabella, Cissa Guimarães, André Marques e Angélica no comando.

O programa enfrentou uma de suas principais crises em 2014, quando sofreu uma reformulação drástica e passou a ser apresentado pelo jornalista Zeca Camargo. O formato durou cerca de um ano.

O programa, que ficou no ar por 35 anos, termina nesta sexta-feira (11). Durante o período em que foi exibido, o Vídeo Show contou com nomes como Miguel Falabella, Cissa Guimarães, André Marques e Angélica no comando.

O programa enfrentou uma de suas principais crises em 2014, quando sofreu uma reformulação drástica e passou a ser apresentado pelo jornalista Zeca Camargo. O formato durou cerca de um ano.

Mas o golpe fatal na vida da atração da Globo foi a ascensão do quadro A Hora da Venenosa, do Balanço Geral. A primeira derrota do Vídeo Show para o programa da RecordTV aconteceu no dia 3 de fevereiro de 2014. 

De lá pra cá, o Balanço Geral, apresentado por Reinaldo Gottino, Fabíola Reipert e Renato Lombardi, passou a tirar o sono do programa global.

Em setembro de 2015, o Vídeo Show sofreu a primeira derrota na média mensal. O Balanço Geral foi líder com 9,4 pontos contra 8,8 da atração. Desde julho de 2018, o Vídeo Show amargura a vice-liderança, atrás do programa da RecordTV.

No início do ano, o colunista de televisão Ricardo Feltrin enalteceu o sucesso da atração. "O quadro A Hora da Venenosa nem é mais uma dor de cabeça para a Globo. Já virou uma enxaqueca crônica mesmo. Primeiro programa da concorrência a mudar o paradigma e a desmontar a programação (vespertina) da emissora líder", escreveu o jornalista. 

Miguel Falabella usou uma rede social para falar sobre o assunto.

— Os jornais todos estão me telefonando, por causa do fim do Video Show e, como a gente nunca sabe de que modo seremos reproduzidos, aqui vai meu testemunho do fundo de tudo, alma e coração compreendidos. Só amor e gratidão por este programa que ficou no ar por mais de trinta anos. Fui muito feliz ali, agradeço ao Boni a oportunidade de ter me deixado capitanear o show por quinze anos,; depois, voltei para os encerramentos, homenageei meus amigos em Memória Nacional e agora sopro a vela, junto com toda a equipe, com o coração tranquilo. Foi um prazer e uma honra ter vivido o que vivi nesse programa. Não sei de audiências, de mudanças, disso ou daquilo. Sei das relações que ali eu criei, da família que fomos um dia, numa casa atrás de tudo, no Teatro Fênix. Mas não choro seu fim. Há uma única constância no universo: a mudança. Vamos em frente! Obrigado, sempre!