Reprodução D3a77cab 8750 4dfd b5e0 dc8188b3c305

O médico Denis César Barros Furtado, conhecido como “Dr. Bumbum”, foi preso na tarde desta quinta-feira (19) na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. Ele estava foragido após ter prisão decretada pela morte da bancária Lilian Calixto, de 46 anos, que se submeteu a um procedimento estético no apartamento dele no sábado (14). A vítima teve complicações e morreu em um hospital no mesmo bairro.

De acordo com a Polícia Militar, agentes do 31º BPM (Recreio), ele foi detido em um centro empresarial na avenida das Américas, na Barra da Tijuca, após informações recebidas pelos agentes do Disque Denúncia. Ele foi encaminhado para a 16ª DP (Barra da Tijuca).

Desde ontem, o Disque Denúncia recebeu mais de 20 denúncias sobre o paradeiro do médico e de sua mãe, Maria de Fátima Furtado, que também foi presa na ação. Eles foram indiciados por homicídio qualificado.

Lilian passou mal após o procedimento e foi levada para um hospital particular pelo próprio Denis e suas ajudantes - uma técnica em enfermagem, a namorada, Renata Fernandes, de 20 anos, que já foi presa, e a mãe, que exercia a profissão ilegalmente após ter o registro médico cassado.

Câmeras de segurança da unidade de saúde mostram o momento em que a vítima é retirada do veículo e encaminhada para a emergência em uma cadeira de rodas. Após quatro paradas cardíacas, ela morreu na madrugada do domingo (15).

Ao saber da morte, Denis recolheu os pertences da paciente e fugiu. Agentes da 16ª DP (Barra da Tijuca) chegaram a visitar o apartamento do médico para cumprir os mandados de prisão contra ele e a mãe, mas ninguém foi encontrado.

Em nota enviada no início da semana, a defesa do médico informou que "Lilian não apresentou qualquer complicação no momento do procedimento estético" e que, "após receber uma ligação da paciente informando que não estava se sentindo bem, o Dr. Denis e a Dra. Fátima acompanharam pessoalmente a bancária até o hospital". A defesa afirmou ainda que "eventual responsabilidade do meu cliente sobre essa fatalidade é precoce".