Assessoria 63547820 4366 43f0 9093 70e109b71366

O Tribunal de Contas de Alagoas (TCE-AL), sedia, desde a última segunda-feira (6), o Fórum Estadual de Gestão Pública, moral, legal e empreendedora, organizado pelo Instituto Cidadão, em parceria com a Escola Pública de Contas do TCE-AL. O tema desta quarta-feira (8) foi “Vencendo as dificuldades e administrando em tempos de crise”, que teve mediação de Daniel Bernardes diretor da Escola de Contas do TCE-AL e Pedro Oliveira presidente do Instituto Cidadão.

O prefeito Júlio Cezar foi convidado como palestrante e contou como vem vencendo as dificuldades e administrando o município em tempos de crise. “Tivemos que administrar um cenário de horror. O município endividado, no Cauc, salários atrasados, servidores desmotivados, UPA fechada, postos de saúde, escolas, todos sucateados. Era um caos total. Criamos um controle interno e negociamos as dívidas. Construímos uma boa relação com a bancada federal, tiramos Palmeira da lista de devedores e passamos a receber recursos federais. Tudo com criatividade, empreendedorismo e transparência”, explicou Júlio durante a palestra.

Além da experiência do prefeito de Palmeira dos Índios, os participantes também tiveram a oportunidade de conhecer as experiências administrativas das cidades de Traipu, com o prefeito Eduardo Tavares, e da cidade de  Marechal Deodoro com o prefeito Cláudio Filho.

Daniel Bernardes disse que Palmeira é um exemplo de gestão pública a ser seguido. “Palmeira dos Índios deu o primeiro passo para o controle interno de gestão eficiente. Esperamos que os municípios entendam e copiem esta metodologia,” sugeriu Daniel.

Pedro Oliveira também enfatizou a boa gestão do prefeito Júlio Cezar. “Vejo Palmeira hoje muito diferente de anos atrás. A cidade está transformada. Faz gosto a gente andar pelo município. Vemos que agora existe gestão. Parabéns para o prefeito que está conseguindo fazer o controle das contas e fazer uma gestão moral, legal e empreendedora”, disse Oliveira.

O evento reuniu prefeitos, secretários, advogados, controladores, auditores e assessores da gestão pública estadual e municipal, interessados em processos de modernização da administração pública.