Itawi Albuquerque F5b10629 ece3 4157 9e8b 9362fdf3aeed

Consciência ecológica e economia de gastos são fatores que já caminham juntos no Poder Judiciário de Alagoas. Os servidores da 13ª Vara Criminal da Capital (Auditoria Militar) e do Setor de Patrimônio, por exemplo, já trabalham com esses valores em mente há algum tempo. Nestas duas unidades, houve redução do uso de copos descartáveis por causa da adoção de copos e canecas de vidro ou porcelana.

“Cada servidor gastava uma média de cinco copos descartáveis por dia. Em uma semana, o consumo atingia até 100 unidades.  Decidimos utilizar nossos copos e  xícaras de louça. Agora, copos descartáveis estão disponíveis apenas para visitantes”, explica o servidor Expedito Quintela,  que acredita ser necessário incentivar a utilização de materiais que não sejam descartáveis em todo o Judiciário.

Adoção de copos na 13ª Vara Criminal

A redução do uso de copos descartáveis na 13ª Vara Criminal (Auditoria Militar) surgiu a partir do momento em que os servidores perceberam os danos que o uso de materiais descartáveis trazem ao meio ambiente.  “Adquirimos canecas para tomar café e chá. Para beber água, começamos a campanha 'Adote um copo'. Cada servidor utiliza apenas um copo por dia”, explicou o escrivão da Vara, Cícero Barros.

Além da preservação ambiental, o escrivão explica que  objetivo dos colegas de trabalho é gerar economia ao Poder Judiciário de Alagoas.  “A gente trata o bem público como se fosse nosso, economizando, como fazemos com as nossas finanças, além de beneficiar o meio ambiente. Essa é uma das pequenas maneiras de oferecer um serviço de qualidade ao jurisdicionado”, reforça Cícero Barros.

Patrimônio propõe economia de recursos

Economizar recursos a partir da redução do consumo de descartáveis é justamente a proposta do servidor Expedito Quintela, um dos responsáveis pelo abastecimento de itens como copos descartáveis demandados pelas unidades judiciárias de Alagoas. “A gente acredita que é possível reduzir o consumo de descartáveis a partir da adoção copos e canecas de vidro e outros materiais”, reforça.

Os servidores da 13º Vara Criminal, antenados à necessidade de se reduzir gastos,  reduziram o volume de impressões desnecessárias. Quando é fundamental utilizar o material e, por acaso, a impressão sai incorreta, o papel se transforma em rascunho para impressões posteriores. “Todo mundo reagiu bem às medidas adotadas para otimizar a utilização desses materiais”, destacou Cícero Barros.

Ações para redução de impactos ambientais

A discussão de estratégia para redução do consumo de copos descartáveis em toda a estrutura do Poder Judiciário de Alagoas foi tema de recente reunião dos integrantes da Comissão Ambiental do TJAL. “Quaisquer ações que visem à redução dos impactos ambientais são necessárias e sempre muito bem-vindas”, observou o juiz José Cavalcante Manso Neto, presidente da Comissão Ambiental do TJ/AL. 

A discussão fez parte de recente reunião da Comissão Ambiental. Os trabalhos foram coordenados pela Assessoria de Planejamento e Modernização (APMP), responsável pelas ações  previstas no projeto TJ Eco Consciente Solidário. “As ações ambientais estão incluídas no planejamento estratégico do TJAL e também são uma exigência do CNJ)”, relembra Alexandre Caiado, coordenador de projeto da APMP.