Reprodução Fd81dfca d84f 444c a252 9d31bd58be18

Quem chegava do lado de fora da casa de Carolina Turker, na área metropolitana de Atlanta, nesse domingo (10) pensava que lá dentro havia uma festa. Eram sete carros estacionados na porta. O almoço dominical virou uma confraternização entre brasileiros moradores da Flórida e da Georgia. Os brasileiros daqui acolheram mais de 300 compatriotas moradores do estado vizinho, que deixaram as casas devido à passagem do furacão Irma.

Anfitriões e hóspedes têm em comum o fato de serem imigrantes e brasileiros nos Estados Unidos, mas só se conheceram pessoalmente nas últimas 48 ou 72 horas por causa do furacão.

"Decidimos nos reunir e comer juntos", disse Carolina  à Agência Brasil. Ela recebeu 15 pessoas em casa, brasileiros moradores da Flórida que receberam aviso de saída obrigatória antes da passagem do furacão.

No almoço, ela conheceu Cleidiane Burney,  moradora de Brandnton, na Flórida, que chegou à Georgia no sábado (9). Cleidiane está hospedada na residência do casal Grace e Aguimar, que também abriram a casa para oito pessoas que vieram para o estado. Grace é amiga de Carolina e ambas resolveram juntar os novos conhecidos no almoço de domingo.

Casada com um norte-americano, Cleidiane,  que vive na Flórida desde 2001, já está bem adaptada à realidade da "temporada de furacões".

"Já passei por vários [furacões], mas foi a primeira vez que tive de deixar minha casa". O que chamou a atenção foi o tamanho do furacão. "Foi o maior que já passou por lá". Quando o governo deu ordem de saída obrigatória, ela e o marido resolveram que seria melhor deixar a casa.

O furacão chegou em Miami, no estado da Flórida, neste domingo (10), atingindo várias regiões com fortes rajadas de vento e chuvas pesadas. Veja a seguir quais foram os maiores fenômenos naturais que atingiram os Estados Unidos